10 ideias para usar vidros de conserva na decoração

Reaproveitar faz bem pro planeta e pro nosso bolso. Quando junta a beleza então fica muito melhor. São infinitas coisas que pode-se reaproveitar, como por exemplo, os frascos de vidro podem ser utilizados como suporte para velas, porta-temperos, porta-treco e até luminárias.

Para te inspirar a fazer o mesmo, a Sanvi Imóveis selecionou 10 idéias para reaproveitar potes de vidros, confira a seguir:

Os vidros de conservas viraram suporte para velas e a garrafinha d’água se transformou em um vaso de flores. As velas boiam no vidro com água. O detalhe que faz a diferença é a tira de papel decorativo em volta dos vidros.

Para decorar o vidro para receber a vela, o produtor Samir Zavitoski escolhe três tons de areia que variavam entre branco e cinza. Ele preencheu metade do vidro com areia e encaixou a vela. Em seguida, ele completou o vidro com mais areia colorida.

E por que não usar os vidros para armazenar temperos? Aqui a inovação vem nas tampas dos vidros, que foram encapadas com adesivo preto. Para identificar a especiaria, é só escrever o nome dela com giz branco.

Para criar este efeito lindo, enchem-se pequenos frascos de vidro com água e corante alimentício. Em seguida, os vidrinhos com rolha foram presos a um fio de nylon suspenso com um cabo de vassoura. Ele é quase um móbile e fica incrível pendurado na janela!

Esta ideia é bem simples: após a limpeza do vidro, tudo o que você precisa fazer é envolver o recipiente com tiras de tecido xadrez de algodão e grudá-las com cola pano. Cada um dos vidros armazena um tipo de talher.

• SIGA-NOS NO TWITTER (@sanvi_imoveis)
• CURTA NO FACEBOOK (https://www.facebook.com/SanviImoveis)

O vidro de conserva pode virar um porta-treco descolado. É só envolvê-lo com uma tira de papel e fixar vários elásticos coloridos, que viram ótimas soluções para guardar coisas.

Os vidros também podem servir para organizar lãs, fitas ou linhas. Para criar este efeito, fure a tampa com a ajuda de um prego e passe os fios pelo orifício. Fica até decorativo, não acha?

Para guardar escovas de dente e a pasta, os potes foram pintados com tinta esmalte. O procedimento é rápido: coloque um pouco tinta dentro do vidro e depois vire ele de boca para baixo. A tinta vai escorrer e o vidro fica todo colorido.

Para criar esta luminária, basta furar a tampa e adaptar um soquete – fixe a lâmpada nele e feche o vidro.

Vidros de papinha podem virar lindos vasinhos de parede. Para fazer igual, é só colocar um arame em volta da boca do vidro com o auxílio de um alicate. Em seguida, escolha as flores e encha o vaso com água.

Fonte: Casa e Construção

Dia sem tabaco: pare de fumar agora!

Hoje, dia 31 de maio, comemora-se o Dia Mundial Sem Tabaco. A data, criada em 1987 pela Organização Mundial da Saúde (OMS), tem como objetivo lembrar os perigos do fumo, discutir as estratégias da indústria para seduzir novos usuários e provocar ações contra o tabaco. De acordo com a OMS, o tabagismo continua a ser a principal causa de morte evitável em todo mundo, pois é um importante fator de risco para o desenvolvimento de diversas doenças crônicas, como câncer, doenças pulmonares e cardiovasculares. Cerca de 1/3 da população mundial é fumante e 5 milhões morrem por ano em consequência do uso do cigarro.

No Brasil, a indústria do cigarro movimenta 16 bilhões de reais e o País já é o segundo maior produtor de tabaco e o maior exportador do mundo.

Atualmente, 15% da população brasileira é fumante, apontam os dados da mais recente pesquisa Vigitel (Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico), do Ministério da Saúde.

A fumaça do cigarro é composta por mais de 4 mil substâncias, sendo que pelo menos 50 delas são comprovadamente cancerígenas. A relação direta entre fumo e câncer de pulmão já foi bem estabelecida pela ciência, mas pesquisas recentes vêm mostrando que o tabagismo está relacionado aos mais diversos tipos de câncer, além de doenças cardiovasculares e pulmonares.

Como em todo vício, parar de fumar exige vontade e disciplina. A maioria dos fumantes que para de fumar sofre mais de uma recaída ao longo do processo. Se isso já aconteceu com você, tente de novo.

O importante é não desistir nunca, mesmo que deixar de fumar pareça uma tarefa impossível. Até mesmo quem já teve, ou está se tratando de um câncer relacionado ao fumo deve seguir tentando parar, pois a cessação do tabagismo nesses casos melhora muito o prognóstico.

Se você está pensando em parar de fumar, o Instituto Nacional do Câncer (Inca) oferece dicas fundamentais para isso:

  •  Marque um dia para parar. Que tal hoje? Se isso não funcionar, reduza o número de cigarros fumados por dia e passe a fumar um a menos a cada dia
  •  Adie o primeiro cigarro do dia o quanto aguentar e tente aumentar diariamente esse tempo sem fumar
  •  Esqueça os cigarros de baixo teor, isso é seguir fumando
  • -Nas primeiras semanas, fuja de atividades e lugares que lembrem o cigarro (como o happy-hour no barzinho)
  • -Evite café, refrigerantes e principalmente bebidas alcoólicas
  • -Beba muita água (isso ajuda a reduzir a vontade de fumar)

Fonte: IG/Terra

Oportunidade de Imóvel – Apartamento – Itararé/SV

REF 4585

Clique na imagem para ver mais informações

  • 2 Dormitórios
  • Itararé/SV
  • Lindo apto. c/ 2 suites
  • 2 salas  varanda mobiliada
  • garagem privativa
  • AC C/C e FGTS
  • É VER E COMPRAR!

R$250MIL

 

Dicas para deixar a sala aconchegante

Dicas para deixar a sala aconchegante

1. Como manter a sala sempre bem arrumada para não passar vergonha com visitas inesperadas?
A arquiteta e urbanista Luiza Lutti Pinheiro Machado indica que é muito importante que cada coisa tenha o seu lugar, dessa forma fica mais fácil para se organizar. “Se você chega em casa e tem um lugar exato pra deixar a bolsa, é lá que você irá deixar, e com o tempo isso acaba virando um hábito”, exemplifica. Ela explica que ganchos para bolsas e chaves são ótimas opções para conferir funcionalidade aos ambientes.

2. Quais os cuidados que devem ser tomados em casas com crianças pequenas?
De acordo com a arquiteta Patricia Mellilo é preciso evitar mobiliário com quinas. Caso isso não seja possível, a escolha deve priorizar móveis com cantoneiras plásticas, encontrados em lojas especializadas para bebês.

3. A sala precisa ter cortinas obrigatoriamente? 
O arquiteto Ishida defende que não existe obrigatoriedade de nada e aconselha utilizar cortinas nos casos em que haja necessidade de barrar a luz direta ou indireta, para obstruir olhares de estranhos, para compor o ambiente com cores ou para esconder uma janela antiga que você não gosta. De acordo com a arquiteta Patricia, uma boa opção são as persianas roll-on que vêm sendo muito utilizadas atualmente.

4. Como escolher um sofá? 
Antes de tudo é preciso pensar para que ambiente você está querendo o sofá. De acordo com Patricia, para salas de tevê ou home theater, os sofás grandes, modulares e com chaise são os modelos ideais. Já para salas de estar, são preferíveis os modelos retos, confortáveis, macios, porém com certa firmeza no estofado. Ela destaca que um bom sofá é aquele que acomoda, é aconchegante ao sentar, sem distorcer a postura, e que não dificulta o ato de levantar- se.

5. Quais as especificidades para a sala de uma pessoa idosa? 
De acordo com Gabriel, é preciso tomar cuidado com as quinas e é bom se preparar para um possível uso de cadeiras de rodas. As dimensões entre os móveis devem permitir acessibilidade com larguras de 1 metro para permitir uma passagem mais confortável. Para evitar dores nas pernas, como reumatismos, e conflitos térmicos no corpo, o arquiteto recomenda pisos mais quentes, como madeira, pvc, mdf ou vinil. Patrícia ainda ressalta que as bordas de tapetes representam um perigo aos idosos. O melhor seria, portanto, livrar-se desses riscos.

6. O que não pode faltar em uma sala para receber?
Gabriel explica que a opção do morador é mais importante e que o conforto do visitante não deve ser prioridade sobre a organização do ambiente. Ele afirma que seria interessante haver um lugar receptivo e agradável para a conversa, que não precisa necessariamente ser um sofá, mas deve ser aconchegante.

7. E a iluminação? Qual a melhor alternativa?
Gabriel Noboru Ishida responde que é sempre importante investir em iluminação indireta, pois ela torna o ambiente mais aconchegante e menos cansativo. Além disso, ajuda a cuidar dos olhos, pois luzes focadas com reflexos cintilantes no ambiente e brilhos intensos sobre fundos escuros tendem levar ao cansaço e dor nos olhos.
A dica de Luiza é fazer composições dando enfoque a algum móvel ou objeto do cômodo, utilizando alguma superfície como refletor, investindo em sancas,“rasgos” de iluminação ou luminárias no chão que iluminam de baixo para cima.

8. Em imóveis onde a sala e a copa são contínuas, qual alternativa para separar os ambientes? 
O arquiteto explica que as possibilidades são muitas. Essa divisão pode ser feita com móveis, iluminação, forros, pisos diferentes combinados com mesas e balcões, tudo integrado com a escolha do sofá, por exemplo.

9. Como deve ser a sala em uma casa com animais de estimação?   
Luiza informa que a primeira coisa a se fazer é optar por armários e móveis com portas, que impedem o acesso dos bichinhos ao seu interior.
A arquiteta destaca que também é preciso tomar cuidado com as cortinas, dando preferência para as curtas, que não cheguem até o chão. Porém, se você preferir a cortina longa, escolha tecidos mais resistentes e que não desfiem com muita facilidade. O mesmo serve para os tapetes, que também sofrem com as unhas dos gatos. “Uma boa opção são os tapetes de sisal”, garante.
Quanto aos pisos, ela afima que os de cerâmica e porcelanato são os mais indicados nessa situação, pois são os de limpeza mais fácil.

10. Qual deve ser a cor do sofá e das almofadas para que não apareçam os pelos que caem?
Gabriel explica que a cor do sofá depende da cor do animal. Se o pet for branco, a melhor opção para o estofado seria cores claras ou até o branco, para disfarçar os pelos. Caso o animal seja malhado, o sofá deve ter a cor semelhante a uma média das cores do bichino. Ele sugere que é bom ficar atento e manter a limpeza constante. “Há o risco de acúmulo de pelos, o que torna o ambiente anti-higiênico”, esclarece.

11. E quanto ao pé dos estofados, dá para protegê-los do xixi?
Se forem de madeira, os pés dos estofados podem ser protegidos por impermeabilização. Os pés metálicos não apresentam tanto problema, pois são mais fáceis de limpar e não mancham, explica Luiza.

Sem pelos ou cheiro
Escolha um sofá feito de material impermeável, para não ter problemas com pelos e nem com a urina. No chão, tapetes de sisal são uma ótima pedida.

Fonte: UOL

Conheça 20 flores resistentes ao frio

Na temporada de inverno a maioria das plantas sofre com o impacto das baixas temperaturas. Porém, algumas espécies, como a violeta e o girassol, são mais adaptadas e sentem menos o impacto do frio. Mesmo assim, alguns cuidados precisam ser tomados.

Segundo Marcos Brancher, paisagista da MbFlores, o ideal é diminuir a quantidade de água das regas em um terço. “No frio as plantas também precisam ser regadas, mas colocar água em excesso pode resfriá-las e trazer fungos”, diz

A seguir a Sanvi Imóveis separou para você uma lista com 20 especies de plantas que florescem no inverno:

Gipsofila (Gypsophila paniculata)

Flor-de-maio (Schlumbergera truncata).

O crisântemo deve ser mantido em local arejado, sem exposição direta ao sol.

Tulipas são resistentes e florescem nas épocas de frio.

Violeta-pendente (Achimenes grandiflora).

Gérbera.(Gerbera jamesonii).

O girassol pode chegar a 30 centímetros de diâmetro e mais de 3 metros de altura.

Samambaia-de-metro (Nephrolepis cordifolia)

As gardênias florescem nos meses mais frios do ano

As camélias adaptam-se com facilidade a baixas temperaturas.

Campainha (Ipomoea purpurea).

Quaresmeira (Tibouchina granulosa).

Orquídea (Orquidea cattleya).

Cosmos-amarelo (Bidens sulphurea)

Lavanda (Lavandula angustifolia).

Pata-de-vaca (Bauhinia).

Ipê rosa (Tabebuia pentaphylla ou Tabebuia rosea)

O jasmim amarelo é mais uma flor que se destaca na estação mais fria do ano.

O inverno é o clima propício para a floração da Azaleia.

Cravo (Dianthus caryophyllus).

Durante o inverno também é importante que a resistência das plantas – e não o seu crescimento – seja reforçada. Por isso, quem usa adubos químicos deve preferir aqueles com mais potássio e fósforo. “Na hora de aplicar, entretanto, não exagere nas proporções”, diz o paisagista. “Além disso, lembre-se de recolher as flores mais sensíveis para lugares protegidos do vento e da temperatura”, afirma.

Fonte: IG

Oportunidade de Imóvel – Apartamento – Centro/sv

REF 3838

Clique na imagem para ver mais informações

  • APARTAMENTO 1 DORMITÓRIO
  • Centro/SV
  • Apto. reformado c/ vista p/ o mar
  • a 50m. da praia
  • prox ao shopping
  • garagem coletiva
  •  AC. C/

R$160 MIL

 

Dicas para cuidar de filhotes de cães e gatos

A criançada pediu um cachorrinho e o desejo foi atendido. Sua casa deve estar preparada para recebê-lo: ter um cesto para ele dormir, um comedouro e um bebedouro, além de alguns brinquedos e ossinhos para roer.


A primeira visita ao veterinário deve ser feita quanto antes. Ele irá verificar o estado geral do bicho e aplicar as vacinas obrigatórias. Todo cão (e gato também) deve ter uma carteira de vacinação com as datas de cada nova dose ou reforço.

Lembre-se de que seu cãozinho acabou de ser separado da mãe e dos irmãos e pode ficar assustado com os sons e cheiros diferentes. Oriente seu filhos a não gritarem ou fazerem brincadeiras barulhentas ao redor do bichinho. Ele é um bebê! Deixe-o explorar o novo ambiente e preste atenção aos buracos, fios expostos e tudo mais que possa oferecer perigo. Faça muito carinho para que ele se sinta acolhido, especialmente ao colocá-lo para dormir. Conforme o animal cresce, ”a casinha” dele deve aumentar. Forre-a com mantas de algodão, sem botões ou presilhas que possam ser engolidos.

Todo cãozinho adora mordiscar tudo até que seus dentes definitivos cresçam, por volta dos seis meses. Até lá, ele irá destruir muita coisa. Para educá-lo, não grite! Fale firme usando a palavra ”não” e faça carinhos quando ele se comportar bem. Aos dois meses ele já controla suas necessidades. Indique os locais onde ele pode fazê-las e os que são proibidos. Uma dica para treiná-lo é espalhar jornais por onde ele fica e, aos poucos, deixá-los apenas fora de casa. Ele aprenderá o lugar certo de fazer xixi.

Após o 4º mês, o cão já pode sair de casa. Passeios freqüentes e regulares, pela manhã e após as refeições, proporcionam ao seu animal oportunidade de fazer suas necessidades fora de casa, além de se exercitar. Mas leve um saco plástico para recolher as fezes da calçada. O bichinho é parte da família!

E quem ganhou gatinho?

Nos primeiros dias, fique atenta para que ele não fuja. É normal que ele fique mais recolhido, ou mesmo escondido, até se acostumar com o novo lar. Faça bastante carinho e dê tempo ao tempo. Providencie vasilha sanitária, areia especial que absorve o odor de urina, uma cama, além de um arranhador. Esses objetos podem ser adquiridos no mercado. As crianças muito novas devem ter supervisão ao ficar com o bichano e as mais velhas podem alimentá-lo. De vez em quando, convém dar pedaços da mesma ração com a mão, para ganhar a confiança do animal. E não esqueça: carinho, vacinas em dia e boa alimentação garantem o bem-estar de todos da casa.

Xixi no lugar certo 

As ”pet shops” vendem tapetes higiênicos que tornam mais fácil o treino para fazer xixi no lugar certo. Ele ajuda o filhote a aprender rapidamente essa lição. Ao contrário do que se diz por aí, ”esfregar o nariz” do animal no xixi feito fora de lugar não acelera o aprendizado, apenas perturba o bicho.

Fonte: Abril.com